O periquito selvagem

[ Você está aqui: Periquitos » O periquito selvagem ]

 

 

  

O PERIQUITO SELVAGEM

 

 

          Melopsittacus undulatos é o nome científico do periquito australiano, que como o próprio nome indica é nativo da Austrália. Pertence a família Psittacidae, ordem Psittaciformes, classe aves, e habita as regiões àridas  e semi-áridas no interior da Austrália. Vivem em grandes bandos e são extremamente nômades. Sua movimentação é ditada pela disponibilidade de água e sementes de capim. Durante o período de seca, eles são vistos fora dos limites normais, ou seja, nas zonas costeiras e arborizadas. Eles se adaptaram a esse clima imprevisível, sendo capazes de ativar seu ciclo de reprodução muito rapidamente depois das chuvas sazonais, que representam a iminente época de crescimento de plantas e gramíneas.

  

 

 

 Exemplos de regiões áridas na Austrália

 

          Em 1805 foi descrito por Shaw e Nodder com o nome Psittacus undulatus, sendo o primeiro nome se referindo a um psitacídeo, e o segundo as marcas onduladas de suas asas.

 

 

 Primeira ilustração de periquitos, publicada em 1805 por Shaw e Nodder

 

          Em 1840, quando o famoso naturalista inglês John Gould teve contato com esses pássaros, ele observou seus sons, e acrescentou a palavra melo (som), antes da palavra Psittacus, ficando definitivamente melopsittacus undulatos. A palavra budgerigar (como os periquitos são conhecidos na língua inglesa), vêm da palavra aborígene "bedgerigah" que significa "bom para comer", pois fazia parte da dieta das tribos aborígenes. Em 1840 quando John Gould retornou a Europa, levou consigo os primeiros periquitos, que aos poucos foram ficando conhecidos e também começou-se a sua criação em cativeiro.

 

 

 John Gould

 

 

           Em 1850, começou a criação de periquitos em larga escala em Antuérpia (centro do comércio de aves de gaiola), e a partir daí, virou febre em toda a Europa. A França importava sozinha cerca de 100.000 casais por ano. Como os criadouros da Holanda e Bélgica não conseguiam suprir essa demanda, milhares de periquitos selvagens eram importados diretamente da Austrália. Preocupado com o fato de que essas capturas estavam dizimando as populações de aves nativas e também com a onda crescente de importações devido a enorme popularidade dos periquitos, o governo australiano, estabeleceu um embargo de exportações em 1894 (ainda hoje em vigor), o que acabou com o tráfico de periquitos selvagens. Isso no entanto não afetou a crescente popularidade dos periquitos, já que nessas alturas existiam grandes criadouros no sul da França (com cerca de 80.000 a 100.000 aves), e Bélgica.

 

Periquitos selvagens

         

          Da cor original (verde claro), surgiram mutações, que deram origem a centenas de cores encontradas hoje nos periquitos. Em 1870 surgiu a primeira mutação na Bélgica, causando grande espanto, um periquito amarelo de olhos vermelhos, (provavelmente um lutino). Nesse mesmo tempo surgiram os amarelos de olhos pretos, mas a sensação surgiu em 1878, os celestes. Os brancos surgiram em 1917. Depois dos celestes vieram os verde escuro, que combinados com os azuis produziram os cobaltos, e a partir daí as mutações se multiplicaram, e até hoje continuam aumentando.



FILHOTES À VENDA INCLUSIVE DESCENDENTES DO LUTOLF
ENVIO PARA TODO BRASIL

Brasil English

© Copyright 2010, Periquitos®. direitos reservados - Produzido por Dinamicsite